C&W presta consultoria para certificação LEED em edifícios de Brasília

Clique para ampliar

Em breve todo o Condomínio Parque Cidade Corporate, localizado no Setor Comercial Sul da capital federal, possuirá a certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), utilizada em 143 países com o intuito de incentivar a transformação de projetos, obra e operação das edificações focando na sustentabilidade. O complexo é formado por três torres com doze andares cada, sendo que cada pavimento conta com uma área de aproximadamente 2.000 metros quadrados: a A e a C são propriedade da Previ – Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil e a B, da Sarkis Engenharia.

O início do processo de certificação aconteceu na Torre A, em 2012 e foi conduzido pela Cushman & Wakefield — esse foi o primeiro edifício existente com certificado LEED EB: O&M em Brasília. “Muitas das orientações dadas no decorrer do processo de certificação da Torre A foram sendo naturalmente adotadas nas outras duas torres, que agora passam pelo mesmo trâmite sob a nossa coordenação”, comenta Danielle Fernandes, gerente de desenvolvimento de negócios, que continua: “O mercado está mesmo obrigando as empresas a buscarem a certificação principalmente para as obras já existentes. É uma tendência mundial. Hoje, de dez empreendimentos entregues, só um não é certificado, o que o torna menos competitivo”.

É fato: edifício certificado é comercialmente mais atraente para o proprietário e mais ainda para o inquilino, que vai usufruir de um espaço mais agradável e confortável. A certificação LEED indica que o empreendimento faz melhor gestão de água, energia e resíduos, com visível redução de custos. “É possível, por exemplo, instalar um medidor de água diário, o que permite detectar com mais facilidade algum vazamento e já tomar alguma providência, em vez de esperar a conta para perceber que algo está errado. Outra medida muito eficaz é fazer uma avaliação das instalações que demandam energia, muitas vezes apenas uma alteração na operação dos equipamentos pode resultar em significante economia. Esses e outros recursos possibilitam que a operação do edifício seja feita de forma sustentável”, explica Marília Leite, analista de sustentabilidade.

​Em geral, a certificação é reavaliada a cada cinco anos. Torna-se necessário, então, que o edifício dê seguimento às medidas adotadas visando à boa gestão de recursos para conquistar a recertificação. “A gente orienta para que o cliente documente tudo o que se refere a operação do edifício certificado LEED para provar a continuidade do processo, que não tem fim. Sempre é possível melhorar algum procedimento”, finaliza Marília.