Projeto gerenciado pela C&W em Porto Alegre auxilia mais de 90 crianças carentes

C&W Porto AlegreDesde setembro de 2013, a Cushman & Wakefield gerencia um bairro planejado com área de 22 mil metros quadrados e cinco condomínios na capital gaúcha, que atende em torno de 1.100 famílias. Localizado perto do Jardim Botânico, o Residencial Central Parque tem um grande diferencial: todos os condôminos contribuem com certa quantia mensal direcionada para a Associação de Moradores do Central Parque.

A soma contribui para que a Associação conserve a limpeza e manutenção das ruas, do paisagismo e também garanta a segurança 24 horas, usando viaturas próprias e apostando num sistema de ótima qualidade. E mais: parte dessa verba mantém o Gol de Placa. “A iniciativa visa dar continuidade ao projeto proposto pela PUC do Rio Grande do Sul e pela Imobiliária Rossi em parceria com o Movimento por uma Infância Melhor – MIM e a prefeitura de Porto Alegre, entre outros pares”, explica Gabriel Zanoni, dirigente de operações da C&W, responsável por gerenciar a Associação, que continua: “É um trabalho de aproximação da comunidade do entorno com o bairro, onde há muita carência e falta de infraestrutura.

Contratado pela Associação, o prof. de Educação Física André Grillo é quem comanda a escola dentro da Comunidade Bom Jesus. As crianças só podem frequentá-la com uma condição: se forem matriculadas no colégio público perto da comunidade e no contraturno escolar. Assim, quem estuda de manhã, tem aula de ginástica laboral, judô, futebol, salto e patins à tarde — e vice-versa. Sem falar na alimentação balanceada oferecida para os estudantes e na biblioteca e no laboratório de informática, ambos frutos de doação, sempre disponíveis para a meninada.

O professor André entrega relatórios para C&W mensalmente relatando o andamento do projeto. E as ideias não param de surgir. A meta do Gol de Placa é ter 100 crianças matriculadas — “já estamos quase lá” —, assim como proporcionar cursos profissionalizantes para a comunidade. “Este mês começou o curso de padeiro para os mais velhos. Vê-los longe das ruas e das drogas, aprendendo coisas diferentes, é algo que deixa a todos nós muito felizes, com vontade de fazer mais e mais”, finaliza Gabriel.